fbpx

Intervenção da Prefeitura no sistema BRT completa primeiro mês com avanços no serviço prestado

Disculpa, pero esta entrada está disponible sólo en portugués de Brasil. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

O processo de intervenção da Prefeitura do Rio no sistema BRT completa seu primeiro mês nesta sexta-feira (23/04) com implementação de medidas para melhorias na qualidade do serviço prestado à população. A Secretaria Municipal de Transportes e a equipe de intervenção trabalharam neste período para o aumento da oferta de articulados, criaram três linhas eventuais de apoio (batizadas de ‘Diretão’), e intensificaram a organização de filas nas estações e terminais.

– Temos um longo caminho para deixar o BRT do jeito que os cariocas merecem. Mas os primeiros avanços que conseguimos já melhoraram um pouco o serviço. Queremos muito mais e trabalharemos para isso – afirmou o prefeito Eduardo Paes.

O trabalho de intervenção está sendo liderado por Claudia Secin, atual presidente do BRT Rio.

– Foram 30 dias de trabalho árduo, mas temos a convicção de que estamos no caminho certo. A equipe de intervenção segue em frente e irá cumprir essa missão que nos foi dada pelo prefeito Eduardo Paes, melhorando a qualidade do serviço prestado pelo BRT Rio.

As medidas representam o primeiro passo para que o sistema BRT volte a funcionar plenamente.

– Avançamos em diversos pontos, mas ainda há muito trabalho pela frente. O objetivo é melhorar o serviço e dar mais dignidade a quem utiliza o sistema. Vamos seguir recuperando os articulados para reduzir a superlotação, principalmente nos horários de pico. Outra meta é reabrir estações de BRT fechadas por problemas de vandalismo e segurança ao longo dos próximos meses – disse a secretária de Transportes, Maína Celidonio.

A primeira medida adotada foi a criação do serviço eventual de ônibus convencionais no trajeto entre Santa Cruz e o Terminal Alvorada nos horários de pico da manhã e da tarde. Esse serviço de ‘Diretões’ foi ampliado no decorrer do último mês e já atende à demanda também dos passageiros que utilizam as estações do BRT Pingo D’Água e Magarça. Na próxima semana, será estendido até a estação Mato Alto. No total, o reforço à frota será de 90 ônibus comuns.

A operação com as linhas auxiliares começou pelo corredor Transoeste por ser o de maior demanda. Com a redução do fluxo de passageiros nos articulados, alguns veículos passarão a atender o corredor Transcarioca.

Aumento de frota

Neste primeiro mês, foi registrado um aumento de BRT’s operantes. Dos 297 articulados encontrados nas três garagens, apenas 120 estavam circulando no primeiro dia de intervenção, muitos deles em estado extremamente precário. Atualmente, são 145 articulados em operação. Até a semana que vem, serão 150. Esse aumento é resultado apenas da manutenção corretiva aplicada aos ônibus. Com aporte de recursos públicos em ações específicas será possível aumentar o investimento em manutenção preventiva, evitando as falhas mecânicas, que prejudicam a confiabilidade da frota, e permitindo mais articulados na operação. A equipe de intervenção está mobilizada para aumentar gradativamente a frota disponibilizada para atingir a meta de 241 articulados até setembro.

Filas

As ações também foram intensificadas nas estações e terminais para a organização de filas. O objetivo é controlar o acesso e a ocupação dos ônibus, reavaliando e ajustando problemas pontuais de lotação.

Estações

Já está sendo feito o levantamento de custos para a reforma e reabertura das 46 estações que se encontram fechadas. Entre os serviços que serão executados estão: substituição gradual dos painéis de vidro fixos por painéis angulares em ferro vazado, para evitar o vandalismo; recuperação das instalações elétricas, dos danos estruturais e da cobertura; e pinturas interna e externa.

Aporte de R$ 133 milhões

A Câmara Municipal autorizou o aporte da prefeitura do Rio no BRT, no valor de R$ 133 milhões. Os recursos serão destinados à recuperação do sistema, durante a intervenção, com  investimentos na reforma e reabertura das estações que se encontram fechadas, ações para trazer mais segurança e conforto aos passageiros, compra de combustível e pagamento de folha de funcionários. Também serão injetados recursos públicos para solucionar o déficit do BRT Rio. No final da intervenção, todos os gastos públicos serão contabilizados e incluídos em um acerto de contas a ser realizado com os consórcios responsáveis pela operação do sistema.

Comparte en
tus redes sociales: